Ir para o conteúdo Pule para a barra lateral Pular para o rodapé
Banner_728x90px
Banner_728x90px

Com só dois recomendados em AL, OAB diz que há excesso de cursos de direito

Com 1 advogado para cada 164 brasileiros e 8 a cada 10 candidatos reprovados no exame de ordem, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) afirma que há cursos de direito em excesso no país e de baixa qualidade.

Em maio, a Folha noticiou que, dentre 34 cursos de direito existentes em Alagoas, apenas o da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), em Maceió, e da Universidade Estadual de Alagoas (Uneal), em Arapiraca, receberam o Selo OAB Recomenda.

Na última semana, o presidente da Comissão Nacional de Exame de Ordem, Marco Aurélio Choy, falou que esse cenário revela a baixa qualidade do ensino.

“O Conselho Federal da OAB tem o Selo OAB Recomenda. No último ciclo avaliativo, dos quase 2 mil cursos existentes, apenas 193 conseguiram o indicativo de qualidade”, afirmou Choy.

OAB Recomenda
Uma das bandeiras da atual gestão é conseguir tornar vinculativos os pareceres da OAB ao Ministério da Educação em relação à criação de novos cursos no país. Para incentivar as faculdades a oferecerem graduação em direito com nível qualitativo cada vez mais elevado, a OAB criou, em 7 de dezembro de 1999, o Selo OAB Recomenda.

O indicador é mais uma das ferramentas da luta que a Ordem vem travando em defesa da proteção da educação jurídica no país. Junto com o EOU, o selo é um dos instrumentos fundamentais para a garantia da qualificação dos profissionais de direito no Brasil.

Ao instituir essa forma de reconhecimento, o objetivo da OAB era criar um balizador para os cursos da área no país. Em 1999 – ano da criação do selo – o MEC contabilizava 380 cursos de direito no Brasil. Um número já considerado grande na época, com mais de 300 mil alunos cursando faculdades de direito.

What's your reaction?
0Smile0Lol0Wow0Love0Sad0Angry

Deixe um comentário